11 de maio de 2006

Como gosto de Florbela Espanca!

"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade...sei lá de quê!"
Florbela Espanca

6 comentários:

Anónimo disse...

O Mundo pessoal acaba por ser diferenciado de todos os outros..

Ser Humano, é querer... exigir...

Por vezes a angústia é peculiar a todos nós, ela torna-se atormentadora, violenta,e intensa... Mas havendo alguém que nos ame, alguém que nos faça viver pelas nossas causas, a alma acaba por se sentir..

Havendo saudade, existe vida, sentimento.. Há que saber perdoar os que mais nos amam, saber dar segundas oportunidades a quem nos pode fazer esqueçer todos os tormentos, e exaltações..

Para amar basta um momento / pois para amar basta ver / e às vezes a vida inteira / não chega para esquecer.

Nunca o amor será uma estrada de mão única. (Paulo Augusto Rodrigues)

Beijos de quem te ama produndamente e desesperadamente...

perola&granito disse...

:o)

São disse...

Há palavras que descrevem na perfeição o que somos e sentimos...

Animal indomável?
Sede de viver?
Simples vontade de ir mais além?
Ou simplemente o que nos faz o coração pulsar mais forte e nos dá brilho ao olhar?
Beijo grande

Ana disse...

a palavra que melhor descreve aquilo que somos ee, isto, porque somos da mesma fibra miga é ANIMAL!!!!!!!

Somos uns autênticos animais cujo mundo tem de se ajustar a nós e não nós a ele......animais que têm o poder de saber dar valor à vida e de dominar o mundo!!!!!!!

E esta hein????

Ana disse...

ERRATA:

"ee" quer dizer "e"

Isto só para acrescentar......TEMOS PENA........

Tita disse...

Conhecendo-te como conheço só te digo que tu vais ser sempre o mesmo animal selvagem, sei bem o quanto gostavas de ficar horas perdidas a ver as panteras negras no jardim, lembras-te?! Sempre te identifiquei com um animal daqueles e sei que tu também, um animal fechado, com sede de viver, de vir cá para fora, respirar profundamente...
Aquele olhar profundo que te entrava na alma e te fazia esquecer tudo o que se passava à tua volta, até fazia confusão como ficavas ali imóvel.
Gosto de ti da mesma forma como te conheci, estás diferente, tornáste-te numa mulher forte e com uma fibra inabalável, ah e estás linda desculpa lá!!
Foi bom reencontrar-te ao fim de todos estes anos!
Um beijo grande!